Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Meu herói, meu eterno ídolo, que injustiça

17-07-09
Por: Ariano Barbosa

"A defesa dos inocentes contra a injustiça dos outros, desde muito cedo, esteve na base da tua decisão em licenciar-se em Direito. Sempre quiseste que a verdade fosse conhecida e a justiça feita. Penso que, a este ponto, és uma pessoa completamente realizada, já que ao longo de vários anos de advogacia, conseguiste dar a voz a aqueles que se sentiam injustiçados, repor a verdade dos factos e devolver a liberdade a muitos inocentes.

Hoje és uma das vítimas da justiça judicial! É revoltante estar nesta situação mas, na vida, por vezes, deparamo-nos com obstáculos e contratempos, entretanto, como sabiamente me ensinaste “a solução existe, temos é que ter a calma, coragem e confiança suficientes para descobri-la e aplicá-la”. Mandela, Luther King e tantos outros, foram, durante anos, injustamente presos, mas não desistiram, foram sempre determinados, perseverantes na luta pelos seus ideais. Esta prisão injusta é uma fase má, mas passageira, sairemos todos mais fortes e unidos e ainda cientes daqueles que são os nossos reais amigos.

Manuel Barbosa (MB) e Maria Filomena Mendes Barbosa começaram a sua actividade comercial há cerca de 30 anos, quando abriram a sua primeira loja, na zona de Achada de Santo António. Desde então, os dois têm trabalhado incansável e honestamente para progridirem e estarem em condições de proporcionar o melhor aos seus filhos. Todos participamos deste projecto, eu lembro-me de, ainda na primária, ajudar a minha mãe a vender copos nos mercados da capital, assim como nas feiras de S.L.Orgãos e S. Catarina. Tudo o que a familia Barbosa conseguiu até hoje, foi fruto de um longo, ardúo e honesto trabalho. Na nossa casa não conhecemos Droga, a única via recorrida para financiar a nossa actividade empresarial foi sempre a Banca. Fomos educados sobre os princípios da honestidade, lealdade, responsabilidade e justiça, sempre fomos ensinados que a vida custa e que o trabalho digno é o único meio ao nosso dispor, para atingirmos os nossos objectivos pessoais.

Que raio de justiça é esta, em que a palavra de uma pessoa que já confessou ser uma das maiores criminosas que o país jamais conheceu, prevalece sobre a de um advogado, pessoa de bem e defensor da lei? Que raio de justiça é esta, em que a palavra desta dita senhora está acima da lei, a ponto de ser decretada a prisão a um inocente, sem se apurar se o que ela diz tem fundamento ou corresponde à verdade? A sra. Zany deixou de comandar o seu cartel de droga, para passar a comandar a justiça Cabo-verdiana. A palavra e os desejos dela passaram a ser a “lei mãe”. Que país é este que permite que uma baroneza de droga se transfigure na sua própria “Constituição”?

O sr. Juiz decidiu pela prisão do MB com base em dois factos integrantes das declarações da sra. “Constituição”. O primeiro tem a ver com a tentativa de comprar a referida sra. por parte de MB e o segundo sobre um tal plano de fuga. Em relação ao primeiro, Cabo Verde inteirinho sabe que a dita sra., quando presa, resolveu exigir avultadas somas aos seus supostos companheiros em troca do seu silêncio. Foi da sua alta criação a ideia de pedir aos outros que lhe dessem dinheiro para que ela não os denunciasse. Portanto, não foi o Sr. MB nem qualquer outra criatura, a propor-lhe algo, em troca do seu silêncio. Os srs. Juízes e procuradores estão carecas de saber de que esta, sim, é a verdade dos factos. Quanto ao segundo ponto, a minha questão é, que fuga? Os três estrangeiros foram julgados e condenados, cumpriram as respectivas penas e seguiram normalmente para os seus países. Não houve em nenhum momento qualquer tentativa de fuga.

A sra. “Constituição” depois de caçada e presa, resolveu colaborar com a justiça e na altura confessou todos os crimes praticados e mencionou todos os envolvidos, não fazendo referência em nenhum momento ao MB. Como é que mesmo antes da sra. “Constituição” ter sido ouvida novamente em tribunal e inventado todas essas asneiras, já era voz corrente na praça pública, que, no final do julgamento, no Sal, um advogado seria preso? Negando que MB tenha sido advogado dela, fica claro que a sra. “Constituição” está sendo instruída e instrumentalizada, por pessoas que percebem, e bem, de acusação. Quem, meus senhores, está por detrás de tudo isto? Afinal de contas, para desviar a atenção dos menos atentos e devolver alguma credibilidade ao Ministério Público, é de interesse tentar mostrar que a justiça funciona, mesmo que tenha de cometer uma grande injustiça.

O uso e abuso do poder são actuais e inquietantes! À uma única pessoa é dado o poder de decidir se uma outra deve viver ou não, se uma outra deve continuar em liberdade ou seja privada dela. A história tem revelado vários casos de injustiça, quando os juízes decretam a sua sentença. Infelizmente, muitos são os que foram sentenciados à pena capital, quando afinal eram inocentes, tantos já passaram a vida inteira na prissão a pagar por crimes que não cometeram. Quando um juiz decide privar um inocente da sua liberdade, como é o caso de MB, e depois descobre-se que afinal o juiz tinha errado, o que é que acontece a este juiz? Todos nós, servidores públicos, no exercício das nossas funções, não estamos no direito de cometer falhas graves, porque caso aconteçam, seremos julgados pelos tribunais. Os juízes são os únicos isentos a este julgamento aquando das referidas falhas. Será que existe falha maior do que tirar a liberdade a um inocente? Existe, neste mundo, algo mais grave, revoltante e inquietante do que mandar executar um inocente?

Sr. Meritíssimo Juiz, se esta sra. que agora acusa injustamente o MB, tivesse também inventado algo que incriminasse o Sr. João Andrade, seu pai, qual seria o seu comportamento? Na certa não o mandaria prender, porque está convicto de que o seu pai é inocente. Pois, eu também tenho a certeza de que o meu o é, a única diferença é que não tenho o poder que o sr. tem e nada posso fazer para devolver ao meu pai a liberdade que o sr. injustamente lhe retirou.

Deveria ter sido nomeado um juiz maduro e experiente, que não tem pressa em mostrar serviço e sobretudo nada a provar a ninguém. Foi angustiante ver que quem mandava na sala de audiência, no julgamento do Sal, eram os procuradores. Como é possível aceitar que, depois das audições ao MB, na altura em que, supostamente, o juiz estaria a proferir o seu despacho, ele tivesse estado cerca de hora e meia, fechado, na mesma sala, com o procurador Moeda? Meritíssimo, o sr. é soberano e como tal não deve permitir que nada nem ninguém interfira no seu trabalho. Sr. Procurador Moeda, a ambição e ganância desmedidas, querendo alcançar altos voos na carreira, de forma rápida e a todo custo, são condenáveis e comparáveis à das pessoas que procuram enriquecer rapidamente através do tráfico de drogras. Ambas têm muita pressa em subir e fazem-no à custa dos inocentes.

MB tem sido o alvo ideal para o Ministério Público (MP), para os partidos políticos e ainda para os jornais. O MP, depois de vários desastres, precisa repor a sua boa imagem e mostrar que no final de contas tem feito um excelente trabalho, para isso nada melhor do que prender um advogado e ainda por cima, irmão do Primeiro Ministro. Só que para vossa desgraça resolveram fazê-lo à custa dum inocente, afundando ainda mais o MP. Quanto aos partidos, o MPD tenta, sobretudo, através dos seus desconceituados jornais, tirar o extremo proveito desta situação, pelo facto de MB ser irmão do actual Primeiro Ministro. Por seu lado, o PAICV, a seu estilo, ao tentar mostrar que é um partido sério, imparcial, isento e contra o neputismo, radicaliza nas suas posições e acaba por prejudicar o MB, já que MB é irmão do PM.

Este assunto é tão mediático que os jornais venderiam por si só, relatando apenas os factos reais e verídicos, mas os jornalistas para tirarem maiores dividendos, inventam mais histórias, para além das que já tinham sido criadas pela senhora “Constituição”. Todos procuram maximizar os seus proveitos, mas, fora os juristas, ainda são poucos os que pararam para reflectir se isto tudo tem fundamento. Caso o fizerem concluirão que MB está preso injustamente.

Como é do conhecimento público, uma instituição financeira nacional decidiu, há dois meses , executar os bens da família Barbosa, devido ao atraso no pagamento de prestações bancárias. Uma pessoa com tantos problemas financeiros, a ponto de correr o risco de perder aquilo que tem, não pode ter nenhuma ligação ao narcotráfico, como muitos querem fazer crer. Onde é que está o dinheiro? Todos sabemos que um dos maiores problemas que as pessoas ligadas ao tráfico de drogas têm, é o excesso de dinheiro.

Acho um absurdo que MB esteja a pagar por algo que aconteceu há mais de 50 anos, quando Idalina Barbosa, sua mãe, resolveu ter um filho com Manuel Monteiro, seu pai. Na altura ele não foi tido nem achado. MB não pediu para vir a este mundo cruel e nem para ser irmão de ninguém. Entretanto, esta condição está a custar-lhe a sua própria liberdade.

Mana, Hosas, Dexon, Bedju, sei que é humanamente impossível assistir, serenamente, à toda esta injustiça cometida contra o nosso amado pai, mas temos que manter a calma e ser fortes. Como ele sempre nos ensinou, “nada melhor que o dia de amanhã”. Mena, senhora de fibra, modelo de boa esposa, mãe protectora e incansável, imagino a tua angústia e indignação, mas estou tranquilo, porque já deste prova suficiente de toda a tua força e determinação. Continua calma e confiante que a verdade dos factos será reposta. Mãe, obrigado por teres escolhido Manuel Barbosa como meu pai!

Pai, meu herói e eterno ídolo, calculo a tua revolta por tudo aquilo a que injustamente tens passado, privado da tua liberdade e, nos últimos dias, até de ler os teus livros. Soube ainda que, mesmo depois das recomendações médicas, devido ao teu estado de saúde, não aceitaram o colchão que a mãe levou e tens estado a dormir no chão.

É cruel, mas considera toda esta situação como apenas mais uma provação. Pensam eles que são o TODO-PODEROSO, mas ELE está no céu a observar e a anotar toda esta crueldade. Todos os que privaram contigo, estão cientes da tua inocência e convictos de que os juízes do Supremo, centrando-se nos factos e na pessoa do MB, vão finalmente fazer a justiça devolvendo a liberdade a um inocente que ao longo de vários anos, tem trabalhado árdua e honestamente ao lado da justiça cabo-verdiana. A única coisa que peço, na qualidade de filho, é que sejam breves. A tua nobre missão de dar a todos o direito de se defenderem ainda não acabou e há de continuar por muitos e longos anos. FORÇA VELHO!!!

*Weymouth, MA, EUA"

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Arte da Guerra

“A guerra é uma questão de vital importância para o Estado; o palco da vida ou morte; a estrada para a sobrevivência ou ruína. É imperativo que seja estudada em detalhes.” (I.1) Sun Tzu

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Concurso oferece “funeral de luxo”

"Um «funeral de luxo» é o que oferece um concurso promovido por uma Rádio com sede em Guimarães. Arranca esta sexta-feira um sorteio de um funeral que o vencedor poderá usar para a sua própria morte ou para a morte de terceiros. Isto porque a «morte toca a todos» e é algo «útil». A ideia partiu de uma empresa de comunicação e imagem e nasceu na sequência de outras ideias que pretendem ser «diferentes» e atrair a atenção dos participantes. «Um estilista já se ofereceu para fazer a roupa que o falecido vai vestir no funeral», acrescenta o administrador.

A tômbola onde deverão ser colocados os cupões de participação vai estar no Guimarães Shopping. O sorteio realiza-se em Dezembro."

Fonte: IOL ! TVI24

domingo, 5 de julho de 2009

a Revisão Constitucional e os Políticos Nacionais

A Revisão constitucional está bloqueada ou melhor num impasse por ter sido encontrado divergências de posição dos dois principais partidos com relação a reestruturação do Poder Judicial.

Por um lado, o PAICV alega a necessidade dos Magistrados serem nomeados para o Conselho Superior de Magistratura, em parte pela classe e parte por entidades políticas nacionais, isto é, pelo Presidente da República e pela Assembleia Nacional. Alega ainda que o presidente deve ser eleito por uma maioria qualificada de dois terços dos deputados no Parlamento, tudo como forma de evitar possível "cartel" da classe dos Magistrados e garantir um controlo por representantes do povo, ou seja a classe política. Por outro lado o MPD, defende a não interferência política no sector da Justiça, afirmando não aceitar nem que o supremo tribunal de justiça esteja sob vigilância política do Presidente da República, nem quer que o Presidente do Conselho Superior da Magistratura Judicial seja um juiz eleito pela Assembleia Nacional, nem admite a possibilidade de nomeação do Procurador-geral da república, pelo Governo e Presidente da República.

Atendendo que a que tudo isto se reporta a Constituição da República, importa levantar questões e fazer com que a sociedade participe neste debate que ao fim e ao cabo é de todos:
1 - Deverá se adoptar o proposto pelo PAICV?
2 - Deverá se adoptar o proposto pelo MPD?
3 - É possível uma solução mista?
4 - ou será que deverá haver referendo nacional?

Sigam o debate com estes jointers:
* Ku frontalidadi
* Teatrakacia
* Cafe Margoso
* geração20j73
* Blog di Nhu Naxu
* Tempo de lobos
* Passageiro em trânsito
* Pedrabika
* O jornal da hiena
* Nos blogue
* Amilcar Tavares
* Bianda

sexta-feira, 3 de julho de 2009

O Bolso...


Fonte: BBC Brasil | Terra Notícias

No Nepal, a partir do dia 01 Julho os funcionários do Aeroporto Internacional de Katmandu, o principal do país, passarão a usar calças sem bolsos, como forma de se tentar acabar com a prática de subornos no local. Esta medida, insólita, foi tomada pela "Comissão para Investigação de Abuso de Autoridade do país", com estreita intervenção do próprio Primeiro-Ministro do País, que acha que a corrupção está a prejudicar a imagem do aeroporto.

Esta decisão foi tomada devido ao grande número de reclamações contra os funcionários, que, segundo a população, para além de aceitarem subornos, também roubam os objectos das bagagem dos passageiros.

SERÁ QUE MEDIDAS SEMELHANTES PODIAM SER APLICADOS NA.......DE CABO VERDE....??? NÃO, ACHO QUE NÃO...

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Socorro... sms broadcast II

A saga continua...

Detalhes da mensagem de: jmproducoes@sapo.... assunto: Email de jmpr... data: 29-06-2009 hora: 18:19 tipo: SMS texto: Sábado, dia 04 de Julho ... no auditório nacional ... concerto com o musico ...

Detalhes da mensagem de: ICA assunto: ...

sms broadcats, onde está a ADECO, que eu vou me queixar das operadoras...

(importa dizer que recebo os broadcast nos meus dois telefones, CVMóvel e T+)

socorro....